terça-feira, 24 de março de 2009

FILOSOFIA DA RECREAÇÃO

FILOSOFIA DA RECREAÇÃO E
PRINCÍPIOS PARA GUIAR A ESCOLHA DE UMA RECREAÇÃO ADEQUADA

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”. Filipenses 4.8

Podemos avaliar o desenvolvimento do ser humano em três patamares:

1 - Espiritual
2 - Mental
3 - Físico

O desenvolvimento físico apropriado fornece boa capacidade mental, por isso é a base. O corpo está intimamente relacionado com a mente. Por tanto, corpo sadio = mente sã.
O corpo também é o primeiro a se desenvolver na meninice, só com o crescimento físico avançado é que o individuo passa a desenvolver a mente, tomando conhecimento nesta faze do espiritual, da natureza do homem e dos sentimentos.
A partir desta faze o individuo passa a harmonizar e equilibrar seus patamares de desenvolvimento, ocorrendo o que se mostra no gráfico seguinte:

Espiritual > Físico > Mental
Físico > Mental > Espiritual
Mental > Espiritual > Físico

A influência da mente sobre o relacionamento com Deus é incalculável. Ellen G. White diz:

“O Espírito de Deus, recebido na alma, aviva todas as suas faculdades. Sob a guia do Espírito Santo, a mente que sem reserva se dedica a Deus, desenvolve-se harmoniosamente, e é fortalecida para compreender e cumprir as reivindicações de Deus”. (OE, p. 285 e 286)

Nós só compreendemos as solicitações divinas quando a nossa mente está apta a receber o Espírito Santo. Em outras palavras: Deus fala a nós através de nossa mente.
O desenvolvimento espiritual está intimamente relacionado com o desenvolvimento mental adequado, que por sua vez liga-se ao físico. Concluímos então, que qualquer atividade que envolva o físico e a mente, também envolve o nosso relacionamento com Deus.
Por isso a importância de se ter uma adequada recreação.

“A juventude algumas vezes expressa o sentimento de que do ponto de vista social a igreja nada faz para alcançá-los, embora algumas vezes isso seja apenas uma escusa para seus próprios sentimentos. É certo que pode servir de indicação quanto a falta de alguns clubes planejar um significativo calendário social que alcance a juventude e promova o fortalecimento tanto da parte física como da espiritual”. (Manual MV p. 52- 53, Adaptado)

A “recreação saudável constitui um aspecto vital do desenvolvimento dos jovens, e muito poderá ser lucrado ao se prover educação adequada e instrutiva para eles. O principal objetivo da recreação não deveria ser simplesmente ocupar o tempo, e sim prover alguma troca significativa e saudável de atividade, a qual seja capaz de conduzir a companheirismo, envolvimento salutar e estimulo intelectual.”
(DSA. Ministério Jovem: Treinamento de Liderança. 1992, p. 33/ modulo 7 )

“Há diferença entre recreação e divertimento. A recreação, na verdadeira acepção do termo - recriação - tende a fortalecer e construir. Afastando-nos de nossos cuidados e ocupações usuais, proporciona descanso ao espírito e ao corpo, e assim nos habilita a voltar com vigor ao sério trabalho da vida. O divertimento, por outro lado, é procurado com o fim de proporcionar prazer, e é muitas vezes levado ao excesso; absorve as energias que são necessárias para o trabalho útil, e desta maneira se revela um estorvo ao verdadeiro êxito da vida”. (MJ, 361)

“É privilégio e dever dos cristãos procurar refrigerar o espírito e revigorar o corpo mediante inocente recreação, com o intuito de empregar as energias físicas e mentais para a glória de Deus. Nossas recreações não devem ser cenas de insensata alegria, tomando a forma de uma insensatez. Podemos dirigi-las de maneira a beneficiar e elevar aqueles com quem nos associamos, habilitando-nos melhor, a nós e a eles, para atender com mais êxito aos deveres que sobre nós recaem como cristãos”. (MJ, 364)

Ao lermos estes textos podemos perceber a importância que Deus dá às nossas atividades. Deus nos aconselha a recreação, sabendo que a mesma nos eleva o espírito e enobrece o caráter. Em contra partida, Ele condena o divertimento. Deus sabe que a atividade que tem fim em si mesmo, desenvolve a competição, egoísmo e outras características mais. Deus sabia que tais atividades seriam amplamente expandidas e praticadas em nossos dias. Ele não nos deixou sem aviso. Sua serva, por vezes falou sobre o assunto.
A recreação tem como intenção integrar, capacitar e desenvolver relação de amizade entre seus praticantes. A principal função de nossas atividades, assim como da recreação, é através do desenvolvimento físico e mental nos aproximar de Deus. Veja:


Físico + Mental = Espiritual

O Clube de Desbravadores deve proporcionar ao juvenil e adolescente recreação de qualidade, desenvolvendo assim o crescimento físico, mental e espiritual de forma harmoniosa.
Porem, uma questão fica: como escolher a recreação? Podemos citar sete princípios para nortear a escolha de nossa recreação:

1. Verificar se não há esforço físico excessivo. Não devemos danificar o santuário de Deus, nem enfraquecê-lo de tal modo que Deus não possa nos influenciar a mente.

2. Toda recreação deve ter um objetivo, a fim de desenvolver o aprendizado e relacionamento entre os que a praticam. A recreação pode ensinar desde matérias teóricas, até mesmo lições para a vida. Deve ter como objetivo também desenvolver maior entrosamento e amizade entre o grupo.

3. Verificar se os pais gostariam que seus filhos praticassem tal atividade. Sempre que pensamos como um pai pensaria, nós estamos protegendo o juvenil em seu momento de recreação.

4. Já que falamos em proteção, a recreação não pode fornecer perigo sobre hipótese alguma. Deve ser livre de todo risco à saúde e a mente.

5. Verificar se de alguma forma o juvenil é aproximado de Deus. Todas as atividades realizadas dentro do clube devem ter por objetivo restaurar nos nossos liderados e em nós a imagem de Deus.

6. Avaliar a diferença de capacidades entre os participantes, de modo a não constranger ou envergonhar um que seja dos participantes. Ninguém deve estar em desvantagem pela sua estatura ou força, antes, todos devem ter largas chances de participarem com sucesso.

7. Verificar se a recreação pensada não provocará espírito de rivalidade. Lembre-se sempre de que a recreação deve enobrecer o espírito e unificar o grupo.

Tiago Dias Santos
teonakbca@gmail.com